Archive for janeiro, 2013

Minha fala no ato na ABI pela anulação do julgamento do mensalão

Por Hildegard Angel

Venho, como cidadã, como jornalista, que há mais de 40 anos milita na imprensa de meu país, e como vítima direta do Estado Brasileiro em seu último período de exceção, quando me roubou três familiares, manifestar publicamente minha indignação e sobretudo minha decepção, meu constrangimento, meu desconforto, minha tristeza, perante o lamentável espetáculo que nosso Supremo Tribunal Federal ofereceu ao país e ao mundo, durante o julgamento da Ação Penal 470, apelidada de Mensalão, que eu pessoalmente chamo de Mentirão.

Mentirão porque é mentirosa desde sua origem, já que ficou provada ser fantasiosa a acusação do delator Roberto Jefferson de que havia um pagamento mensal de 30 dinheiros, isto é, 30 mil reais, aos parlamentares, para votarem os projetos do governo.

Mentira confirmada por cálculos matemáticos, que demonstraram não haver correlação de datas entre os saques do dinheiro no caixa do Banco Rural com as votações em plenário das reformas da Previdência e Tributária, que aliás tiveram votação maciça dos partidos da oposição. Mentirão, sim!

Isso me envergonhou, me entristeceu profundamente, fazendo-me baixar o olhar a cada vez que via, no monitor de minha TV, aquele espetáculo de capas parecendo medievais que se moviam, não com a pretendida altivez, mas gerando, em mim, em vez de segurança, temor, consternação, inspirando poder sem limite e até certa arrogância de alguns.

Eu, que já presenciara em tribunais de exceção, meu irmão, mesmo morto, ser julgado como se vivo estivesse, fiquei apavorada e decepcionada com meu país. Com este momento, que sei democrático, mas que esperava fosse mais.

Esperava que nossa corte mais alta, composta por esses doutos homens e mulheres de capa, detentores do Supremo poder de julgar, fosse imune à sedução e aos fascínios que a fama midiática inspira.

Que ela fosse à prova de holofotes, aplausos, projeção, mimos e bajulações da super-exposição no noticiário e das capas de revistas de circulação nacional. E que fosse impermeável às pressões externas.

Daí que, interpretação minha, vimos aquele show de deduções, de indícios, de ausências de provas, de contorcionismos jurídicos, jurisprudências pós-modernas, criatividades inéditas nunca dantes aplicadas serem retiradas de sob as capas e utilizadas para as condenações.

Para isso, bastando mudar a preposição. Se ato DE ofício virasse ato DO ofício é porque havia culpa. E o ônus da prova passou a caber a quem era acusado e não a quem acusava. A ponto de juristas e jornalistas de importância inquestionável classificarem o julgamento como de “exceção”.

Não digo eu, porque sou completamente desimportante, sou apenas uma brasileira cheia de cicatrizes não curadas e permanentemente expostas.

Uma brasileira assustada, acuada, mas disposta a vir aqui, não por mim, mas por todos os meus compatriotas, e abrir meu coração.

A grande maioria dos que conheço não pensa como eu. Os que leem minhas colunas sociais não pensam como eu. Os que eu frequento as festas também não pensam, assim como os que frequentam as minhas festas. Mas estes estão bem protegidos.

Importa-me os que não conheço e não me conhecem, o grande Brasil, o que está completamente fragilizado e exposto à manipulação de uma mídia voraz, impiedosa e que só vê seus próprios interesses. Grandes e poderosos. E que para isso não mede limites.

Esta mídia que manipula, oprime, seduz, conduz, coopta, esta não me encanta. E é ela que manda.

Quando assisti ao julgamento da Ação Penal 470, eu, com meu passado de atriz profissional, voltei à dramaturgia e me lembrei de obras-primas, como a peça As feiticeiras de Salém, escrita por Arthur Miller. É uma alegoria ao Macartismo da caça às bruxas, encetada pela direita norte-americana contra o pensamento de esquerda.

A peça se passa no século 17, em Massachusets, e o ponto crucial é a cena do julgamento de uma suposta feiticeira, Tituba, vivida em montagem brasileira, no palco do Teatro Copacabana, magistralmente, por Cléa Simões. Da cena participavam Eva Wilma, Rodolpho Mayer, Oswaldo Loureiro, Milton Gonçalves. Era uma grande pantomima, um julgamento fictício, em que tudo que Tituba dizia era interpretado ao contrário, para condená-la, mesmo sem provas.

Como me lembro da peça Joana D’Arc, de Paul Claudel, no julgamento farsesco da santa católica, que foi para a fogueira em 1431, sem provas e apesar de todo o tempo negar, no processo conduzido pelo bispo de Beauvais, Pierre Cauchon, que saiu do anonimato para o anonimato retornar, deixando na História as digitais do protótipo do homem indigno. E a História costuma se repetir.

No julgamento de meu irmão, Stuart Angel Jones, à revelia, já morto, no Tribunal Militar, houve um momento em que ele foi descrito como de cor parda e medindo um metro e sessenta e poucos. Minha mãe, Zuzu Angel, vestida de luto, com um anjo pendurado no pescoço, aflita, passou um torpedo para o então jovem advogado de defesa, Nilo Batista, assistente do professor Heleno Fragoso, que ali ele representava. O bilhete dizia: “Meu filho era louro, olhos verdes, e tinha mais de um metro e 80 de altura”. Nilo o leu em voz alta, dizendo antes disso: “Vejam, senhores juízes, esta mãe aflita quebra a incomunicabilidade deste júri e me envia estas palavras”.

Eu era muito jovem e mais crédula e romântica do que ainda sou, mas juro que acredito ter visto o juiz militar da Marinha se comover. Não havia provas. Meu irmão foi absolvido. Era uma ditadura sanguinária. Surpreende que, hoje, conquistada a tão ansiada democracia, haja condenações por indícios dos indícios dos indícios ou coisa parecida…

Muito obrigada.

janeiro 31, 2013 at 3:24 pm Deixe um comentário

Dale Dilma: a menor taxa de desemprego desde 2002

A oposição reacionária brasileira deveria se exilar na Espanha ou na Grécia.

Lá eles poderiam ter um orgasmo de felicidade com a situação de miserê que a crise provocada pelo capitalismo produz.

Aqui no Brasil vão continuar murchando com notícias como esta:

A taxa de desemprego ficou em 4,6% em dezembro, a mais baixa para o mês de toda a série histórica do IBGE, e abaixo do nível registrado em novembro (4,9%).

Em dezembro de 2011, o indicador havia sido de 4,7%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE.

Na média de 2012, a taxa ficou em 5,5%, também no menor patamar desde 2002, quando teve início a atual pesquisa de emprego do IBGE.

Estimado em R$ 1.805 em dezembro, o rendimento médio do trabalhador, que manteve trajetória de alta ao longo de 2012, cresceu 3,2% na comparação com dezembro de 2012.

Na média de 2012, a renda subiu 4,1%, segundo IBGE.

Na comparação com o período mais longo, o rendimento do trabalhador aumentou 27,7% desde 2003.”

Privatarianau tucana afundando

Fonte: IBGE

Imagem: Google

janeiro 31, 2013 at 11:58 am Deixe um comentário

Democracia tucana: escola boa é escola muda!!!

jatene

Enquanto no governo do PT as direções das escolas eram eleitas democraticamente, no governo de Simão Troglodita Jatene é no porrete.

Outros tempos. Tanta diferença ! Tanto retrocesso !

Veja a democracia tucana em ação:

Alunos protestam contra exoneração de educadores

Centenas de alunos da Escola Estadual Paulo Maranhão, situada na avenida José Bonifácio, bairro do Guamá,em Belém, realizam uma passeata na manhã desta quarta-feira (30).

O ato é em protesto a exoneração de toda a direção da escola, depois que matérias foram veiculadas na imprensa sobre as precárias condições de funcionamento da instituição de ensino, o que irritou a direção da Secretaria Executiva de Educação do Estado (Seduc), culminando com a exoneração da direção da unidade escolar.

A passeata segue até a Escola Estadual Augusto Meira Filho, em São Brás, sede da Unidade administrativa da SEDUC na escola, onde os alunos prometem fechar as vias para chamar a atenção da população e pressionar o governo a suspender a exoneração dos trabalhadores em educação da escola.

De acordo com o sargento Gonzales da Polícia Militar, a passeata é considerada tranquila. “Os alunos estão indo pelas laterais da pista na José Bonifácio e não estão complicando o trânsito. Não está ocorrendo tumulto”, avaliou.

Fonte: DOL

Imagem: Google

janeiro 30, 2013 at 2:16 pm 1 comentário

O Pará que você não vê na TV!!

latas-dagua-na-cabeca-sao-luis

Tá pegando no Sat.

Já era a água!

O blogueiro acordou cedinho e ligou o chuveiro e nada.

Nenhuma gotinha.

Nem pra tomar banho tcheco deu.

Pouco menos pra descolar o café.

O jeito e ficar esperando a boa vontade da Cosanpa tucana administrada pelos incompetentes do PMDB.

Quando tinha Centro Comunitário que prestava no Sat uma hora dessas a Augusto Montenegro já estava cheia de pneu pegando fogo.

Aliás, o Pará inteiro está pegando fogo.

A educação não presta.

A saúde também.

A segurança deixa pra lá. Só em janeiro já mataram 6 policiais.

O Pará de Jatene, em matéria de assassinato de policiais, vai ficar igualzinho a situação de São Paulo administrada pelo impopular Geraldo.

Segundo uma fonte na PM boa parte da tropa anda pensando em mudar de profissão!!

Gente vou passar o pano.

Tenho que correr pra cacimba pra encher mais um balde d’água!!

Imagem: Google

janeiro 30, 2013 at 12:38 pm 1 comentário

SEDUC: paralisia permanente!

seduc10

Desde do dia 18 o blogueiro não pode mais lançar ou consultar as notas das avaliações de seus alunos no serviço On-Line mantido pela SEDUC.

Ele e qualquer funcionário da Secretaria lotado em qualquer escola da rede estadual.

Os alunos da rede também. Eles estão impedidos consultar o seu boletim no site da Secretaria.

Tal situação é reflexo do enorme caos que se instalou na SEDUC e da incapacidade que os tucanos tem de enfrentar os problemas mais rotineiros da administração pública.

Escolas abandonadas, caindo literalmente aos pedaços, desprezo pedagógico pelas unidades escolares e paralisia são a tônica da gestão pífia que os tucanos fazem da educação pública no estado do Pará.

A paralisia tucana chega ao ponto de não se ter papel para imprimir um simples relatório.

E as medidas de austeridade que afetam as atividades dos funcionários da Sede, como corte de diárias e passagens nunca atingem os  indicados de Simão Jatene!

Como o (des)serviço On-line não funciona os professores(as) e funcionários(as) que trabalham nas Secretarias das escolas não podem lançar as notas das avaliações no sistema.

A consequência lógica é que nem um aluno devidamente matriculado receberá o seu Boletim o ficha individual, referente ao período letivo 2012, enquanto perdurar a tal manutenção

Pelo jeito, quem precisa entrar em manutenção para sempre é o stafe tucano que dirige a Secretaria de Educação.

A comunidade escolar agradeceria!

Imagem: Site da SEDUC

janeiro 29, 2013 at 12:23 pm Deixe um comentário

Quem tá com o pé na cova é a globo!

globo

Coincidência ?

Jornalismo de terceira rima com rede social de baixo nível.

A lei dos meios pra essa turma tem que ser aplicada até nas redes sociais.

Veja:

Em seu perfil oficial, a Rede Globo se desculpou por mensagem “infeliz”, que convidava os internautas a criarem lápides interativas no site da série ‘Pé na Cova’

O perfil oficial da Rede Globo no Twitter se retratou, na tarde deste domingo, após postar uma mensagem em que convidava os internautas a criarem uma “divertida” lápide interativa.

Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia

A ação, que faz parte da promoção da série Pé na Cova, foi mal vista pelos internautas, que criticaram a falta da sensibilidade da emissora em razão da tragédia envolvendo a morte de pelo menos 232 pessoas no incêndio de uma boate em Santa Maria (RS), na madrugada deste domingo.

Já brincou de criar sua lápide divertida?, dizia a mensagem com o link do aplicativo que direcionava para o site do seriado.

Rapidamente, dezenas de internautas replicaram o tuíte, criticando “insensibilidade” da emissora com a tragédia ocorrida em Santa Maria. “Hoje, Globo? Hoje”, indagou um dos internautas sobre o post. “Tem vergonha não?

Dia triste, e você fazendo tuiotes de #PéNaCova”, reclamou @CarolGomide02

Foto: Twitter / Reprodução

janeiro 28, 2013 at 12:56 pm 2 comentários

A vitória do Leão e o tridente demo tucano

O blogueiro quase ia ao Mangueirão assistir o seu Leão.

Pai Curupira do Sat já havia profetizado que quem mandaria no estádio seria a torcida do Leão.

Como ele sabe que Pai Curupira não erra chegou a vestir a camisa do mais querido, mas desistiu quando o Pai de Santo mais famoso da cidade afirmou ter tido uma visão: viu um tridente do capeta pairando sobre o Mangueirão.

Não deu outro!

O Leão despachou o papão de 2 x 1 e o blogueiro viu se materializar a visão do pai curupira sobre o tal tridente do capeta.

Sim! É a última maravilha tecnológica em criação tucana.

No início Edson Matoso não sabia explicar o que seria aquela novidade em artefato futebolístico.

Chegou a denominá-lo injustamente de ancinho, instrumento muito conhecido pelos agricultores, mas que já foi devidamente patenteado pelos americanos, como era de se esperar.

Não “jenial” narrador tucano! Aquela maravilha é conhecida pela população paraense como tridente do inferno tucano.

Inferno que a população viveu na Almirante Barroso ao ficar encurralada no conflito previamente anunciado entre as chamadas torcidas organizadas.

Inferno vividos por cidadãos comuns cerceados de sua liberdade de ir e vir.

Inferno de um governo que não consegue assegurar os direitos básicos da população.

Inferno vivido pelos policiais militares que tiveram um membro da corporação assassinado e outro ferido em menos de duas horas, neste sábado.

Enquanto o caos tomava a cidade o imparcial apresentador da TV Cultura lamentava que o Pará não sediasse a copa do mundo.

Concordo com ele: É uma pena não podermos mostrar para o mundo o Tridente Tucano. Os chineses, os americanos e FIFA iriam morrer de inveja!!!

violência

Imagem: PIG

janeiro 27, 2013 at 1:56 pm 1 comentário

Posts antigos


Meu twitter

Contador do Diário

  • 303,157