A bola

junho 27, 2012 at 2:35 am Deixe um comentário

O blogueiro nasceu e cresceu no bairro do Jurunas.

Confessa que tem saudade daqueles dias em que adorava brincar de bola pelas ruas do bairro que nunca se amofina.

Era o melhor e o mais requisitado goleiro.

Foi jogando bola que ele descobriu que havia algo de errado com o testamento de Adão.

Fez esta descoberta em um sábado de julho quando o seu time mandava para o espaço mais uma equipe de perebas do bairro.

Só não entendia porque o seu irmão o obrigava a se sujeitar ao vexame de pegar dois gol daquele menino gordo, desengonçado e metido a jogador de futebol.

O gordinho acreditava que entendia da pelota.

Ficava todo sorridente se achando o Tostão, quando na verdade não passava de um perna de pau e cabeça de bagre.

Depois que ele fazia os dois dele, eu fechava o gol e nosso time aplicava uma goleada igual ao que o time da Escola Vilhena Alves meteu no meu Leão.

Meu irmão sustentava que o problema todo era a situação financeira do nosso time.

Éramos meninos que não tínhamos um trocado para comprar aquela linda bola que o garoto gordo ganhou de presente de natal.

Até que um dia resolvi subverter aquele direito adquirido.

No deixei mais o filhinho de vovó fazer os seus golzinhos.

Ele aborrecido parou o jogo.

Ficou enrubescido e começou a chorar.

Pegou aquela bola colorida e levou a pelota para residência mais bonita da Honório José dos Santos.

A garotada do meu time ficou furiosa com aquele imprevisível e inquieto arqueiro.

Eu descobriria naquela manhã ensolarada um problema no testamento de Adão.

As melhores pelotas ficavam com os meninos “endinheirados”do bairro e a crianças pobres tinham que aprender a ser dissimuladas se quisessem se divertir no Campo do São Domingos.

Acho que não foram as ideias de Max e Lenin que me tornaram socialista na juventude, mas a lembrança daquela enorme injustiça perpetrada na hora de redigir o tal testamento.

Como ensina Proudhon: a propriedade da bola é um roubo !

Imagem: Google

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Sobre Salame e veganismo Jordy: a primeira vítima da cúpula do trovão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


junho 2012
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Meu twitter

Contador do Diário

  • 303,147

%d blogueiros gostam disto: