Afagos das sensações

Por Waldir Lisboa

Cores

Quando a manhã chega no varal disfarçado de calma

desperto para esse outro lado da consciência que temo

em reproduzir o mofado discurso ,“Realidade”.

Concretude, embriagam minha alma

O torpor, cria ruídos em acordes quase Wagneriano

Busco afagos nas sensações das cores

Cada vez mais se misturam tonalidades que vão do frio ao mais quente tom

Ah! esse exercício de ser e não ser, me enchem de adrenalina

Olho para minhas demandas e o que noto, são apenas paisagem

como uma tela branca.

Não indiferente mas apenas ali, esperando que um gesto pelo menos,

mude o espaço e assim, construindo uma ponte entre meu espírito e minha materialidade.

O desespero dos aflitos, jorram como uma furiosa corredeira de onde o susto emerge em um Grito

de espanto ao se deparar com a enorme queda onde o fundo líquido os espera apenas para continuar na direção mais calma do rio.

É assim que meu ser foi forjado para esse mundo:

quando contemplo os seres e as coisas, minha imaginação entra em ação

os estímulos vem como em um grande banquete

as bandejas repletas de variedades e enchem meus olhos de cores e formas

Um outro dia, escutei um amigo meu Canadense que dizia o quanto as academias da Suíça, estavam

abarrotadas de Teses e dissertações se pelo menos 50% dessas ideias fossem colocadas em práticas, já melhorariam bastante a condição do nosso mundo.

Imagem: Google

março 28, 2013 at 3:57 pm Deixe um comentário

Novos tempos

adeus

A partir de hoje sou aluno do mestrado de Ciência Política da UFPA.

Acho que não terei mais o mesmo tempo pra manter o meu Diário.

Agradeço a paciência de vocês e, principalmente, a companhia, mas os tempos são outros.

Uma coisa é certa o blogue não manterá o mesmo ritmo de atualização.

See you later!!

Imagem: Google

março 11, 2013 at 9:37 am 3 comentários

Dilma e a minha mãe!!

 Minha mãe faz aniversário hoje e recebeu o seguinte telegrama da Presidenta:

Com essa decisão, você, com a mesma renda que tem hoje, vai poder aumentar o consumo de alimentos e de produtos de limpeza, e ainda ter uma sobra de dinheiro para poupar ou aumentar o consumo de outros bens. Desde o mês passado você está pagando uma conta de luz mais barata. Agora, com mais essa redução de despesas, você vai poder equilibrar um pouquinho melhor o seu orçamento doméstico”.

Mamãe, que representa o que pensa a grande maioria do povo brasileiro, tirou da gaveta a sua conta de luz e vociferou:

– Esta mulher de luta já me fez economizar com energia. Agora vai sobrar mais grana das despesas com alimento.

E continuou:

– Como faço, hoje, 85 anos penso que a poupança não é um investimento atrativo. A bolsa demora a dar retorno. Então, eu prefiro mesmo é a liquidez e o retorno rápido do jogo do bicho.

Parabéns, Dona Helaene.

Parabéns pelo seu aniversário.

E em 2014 é Dilma de novo!

Obrigado por fechar o meu corpo contra mau olhado e outras coisinhas.

Afinal, vida de blogueiro não fácil!!!

Ah! Hoje o jogo do bicho está liberado.

Tudo por minha conta!!

mãe

Foto: Arquivo pessoal

março 9, 2013 at 1:17 pm Deixe um comentário

Dia internacional da mulher: a hora e a vez do poeta!

Pancada de Amor…

Antonio Juraci Siqueira

Neste dia dedicado

à mulher, no mundo inteiro,

venho chamar a atenção

para um fato corriqueiro:

a violência cometida

contra a mulher desvalida

pelo próprio companheiro.

Lá no princípio do mundo,

quando Deus fez a mulher,

não a tirou dos pés do homem

mas da costela, o que quer

dizer que a fez companheira

de labor, a vida inteira

e não um objeto qualquer.

Em seu quinto mandamento

Deus a todos ordenou:

Não matarás!” E, no entanto,

o homem nunca respeitou

essa lei santa e sensata,

porque quem ama, não mata,

quem mata, jamais amou.

É preciso dar um basta

neste cenário de horror

combatendo a violência

seja de que tipo for

pois em mulher, diz o dito

neste jargão tão bonito:

não se bate nem com flor!

Vida é centelha divina,

seja de crentes, ateus,

negros, brancos, amarelos,

pardos, nobres ou plebeus.

Toda e qualquer violência

contra a mulher, fere a essência

de Maria, mãe de Deus.

Este fato vergonhoso

pelo mundo e no Brasil,

tem por pivô, muitas vezes,

o ciúme doentio,

sentimento negativo

que quem tem vive cativo

em seu funesto gradil.

O ciúme é uma doença

para a qual não tem vacina

vem disfarçado de amor

e o próprio amor elimina.

Rosa seca sem perfume

é como eu vejo o ciúme

com sua garra assassina.

É preciso combater

um ditado que corrói

com a falácia de que

pancada de amor, não dói”.

E se a mulher se calar,

será rosa a perfumar

a mão de quem a destrói.

Denunciar é tarefa

de toda a sociedade

combatendo, dessa forma,

tanto horror, tanta maldade.

Quem sabe e não denuncia,

ao próprio agressor se alia

em favor da impunidade.

Pela paz em nossos lares,

lutarei onde estiver

e aos homens do mundo inteiro

faço ( aceite quem quiser)

esta proposta bacana:

todo dia da semana

seja o “Dia da Mulher”!

diamulher

Imagem: Google

março 8, 2013 at 7:28 pm Deixe um comentário

Jatene não está bem. Por quê escondem isso?

Por Carlos Mendes* (via facebook)

Um amigo de São Paulo me dá uma informação inquietante: o governador Simão Jatene não está bem saúde e deve demorar pelo menos mais 30 dias em observação até que efetivamente seja liberado de qualquer problema clínico. Por ora, seria um risco liberá-lo para atividades normais de governo, com todo o estresse que isso acarreta.

Na verdade, segundo o amigo, que é médico, Jatene teve complicações após a colocação de stents no coração e sua pressão teria necessitado de controle mais rigoroso. O amigo observa que isso deveria ter constado do boletim médico sobre o verdadeiro estado de saúde do governador, mas não sabe se isso foi feito, ou se a informação ficou restrita aos círculos familiares.

“Jatene ficou mal, mas ainda não está bem”, concluiu o amigo. A assessoria do governador deve vir a público prestar os devidos esclarecimentos. Não costumo dar crédito a boatos ou disse-me-disse, a não ser que confie na fonte. Pois esta fonte que me deu a informação, pára mim, até prova em contrário, merece credibilidade.

*jornalista e correspondente do jornal “O Estado de São Paulo”

jatene

Imagem: Google

março 7, 2013 at 7:20 pm 1 comentário

A hora e a vez do LULA

Se você não estuda Inglês procure urgentemente um curso grátis na internet.

Aqui em casa todo mundo estuda o idioma dos imperialistas.

O Yuri, o sabichão, fala e escreve fluentemente.

Até os meus dois cachorrinhos estão no básico 1.

Latin America After Chávez

By LUIZ INÁCIO LULA da SILVA.

HISTORY will affirm, justifiably, the role Hugo Chávez played in the integration of Latin America, and the significance of his 14-year presidency to the poor people of Venezuela, where he died on Tuesday after a long struggle with cancer.

However, before history is allowed to dictate our interpretation of the past, we must first have a clear understanding of Mr. Chávez’s significance, in both the domestic and international political contexts. Only then can the leaders and peoples of South America, arguably the world’s most dynamic continent today, clearly define the tasks ahead of us so that we might consolidate the advances toward international unity achieved in the past decade. Those tasks have gained new importance now that we are without the help of Mr. Chávez’s boundless energy; his deep belief in the potential for the integration of the nations of Latin America; and his commitment to the social transformations needed to ameliorate the misery of his people.

Mr. Chávez’s social campaigns, especially in the areas of public health, housing and education, succeeded in improving the standard of living of tens of millions of Venezuelans.

One need not agree with everything Mr. Chávez said or did. There is no denying that he was a controversial, often polarizing, figure, one who never fled from debate and for whom no topic was taboo. I must admit I often felt that it would have been more prudent for Mr. Chávez not to have said all that he did. But this was a personal characteristic of his that should not, even from afar, discredit his qualities.

One might also disagree with Mr. Chávez’s ideology, and a political style that his critics viewed as autocratic. He did not make easy political choices and he never wavered in his decisions.

However, no remotely honest person, not even his fiercest opponent, can deny the level of camaraderie, of trust and even of love that Mr. Chávez felt for the poor of Venezuela and for the cause of Latin American integration. Of the many power brokers and political leaders I have met in my life, few have believed so much in the unity of our continent and its diverse peoples — indigenous Indians, descendants of Europeans and Africans, recent immigrants — as he did.

Mr. Chávez was instrumental in the 2008 treaty that established the Union of South American Nations, a 12-member intergovernmental organization that might someday move the continent toward the model of the European Union. In 2010, the Community of Latin American and Caribbean States leapt from theory to practice, providing a political forum alongside the Organization of American States. (It does not include the United States and Canada, as the O.A.S. does.) The Bank of the South, a new lending institution, independent of the World Bank and the Inter-American Development Bank, also would not have been possible without Mr. Chávez’s leadership. Finally, he was vitally interested in fostering closer Latin American ties with Africa and the Arab world.

If a public figure dies without leaving ideas, his legacy and his spirit come to an end as well. This was not the case for Mr. Chávez, a strong, dynamic and unforgettable figure whose ideas will be discussed for decades in universities, labor unions, political parties and anyplace where people are concerned with social justice, the alleviation of misery and the fairer distribution of power among the peoples of the world. Perhaps his ideas will come to inspire young people in the future, much as the life of Simón Bolívar, the great liberator of Latin America, inspired Mr. Chávez himself.

Mr. Chávez’s legacy in the realm of ideas will need further work if they are to become a reality in the messy world of politics, where ideas are debated and contested. A world without him will require other leaders to display the effort and force of will he did, so that his dreams will not be remembered only on paper.

To maintain his legacy, Mr. Chávez’s sympathizers in Venezuela have much work ahead of them to construct and strengthen democratic institutions. They will have to help make the political system more organic and transparent; to make political participation more accessible; to enhance dialogue with opposition parties; and to strengthen unions and civil society groups. Venezuelan unity, and the survival of Mr. Chávez’s hard-won achievements, will require this.

It is without a doubt the aspiration of all Venezuelans — whether aligned with or opposed to Mr. Chávez, whether soldier or civilian, Catholic or evangelical, rich or poor — to realize the potential of a nation as promising as theirs. Only peace and democracy can make those aspirations a reality.

The multilateral institutions Mr. Chávez helped create will also help ensure the consecration of South American unity. He will no longer be present at South American summit meetings, but his ideals, and the Venezuelan government, will continue to be represented. Democratic camaraderie among the leaders of Latin America and the Caribbean is the best guarantee of the political, economic, social and cultural unity that our peoples want and need.

In moving toward unity, we are at a point of no return. But however steadfast we are, we must be even more so in negotiating our nations’ participation in international forums like the United Nations, the International Monetary Fund and the World Bank. These institutions, born from the ashes of World War II, have not been sufficiently responsive to the realities of today’s multipolar world.

Charismatic and idiosyncratic, capable of building friendships, communicating to the masses as few other leaders ever have, Mr. Chávez will be missed. I will always cherish the friendship and partnership that, during the eight years in which we worked together as presidents, produced such benefits for Brazil and for Venezuela and our peoples.

Luiz Inácio Lula da Silva, the president of Brazil from 2003 through 2010, is the honorary president of the Instituto Lula, which focuses on Brazil’s relations with Africa. This essay was translated by Benjamin Legg and Robert M. Sarwark from the Portuguese.

venezuela

Imagem: Facebook

março 7, 2013 at 10:49 am 1 comentário

A voz e a vez dos excluídos

Por João Salame *

Muitos críticos podem dizer que o PT se transformou e, em alguns casos, para pior. Que se rendeu a velhas práticas da política. Há muito de verdade nisso.

Mas o partido não consegue ser superado por outras organizações de esquerda porque mantém ainda sólido vínculo com a maioria da população deserdada das políticas públicas.

Não gosto de personalizar as coisas, aposto muito nas ações coletivas, mas essa façanha se deve muito a intuição política de uma personalidade: Lula. Ele mesmo. Tão defenestrado por seus adversários nos últimos dias. Mas cada vez mais amado pelas parcelas menos favorecidas da sociedade.

No início da década de 80, Lula entendeu que a velha forma de representação política da esquerda, representada pelo partido comunista, havia falido. Que a concepção autoritária de partido não dava mais conta dos anseios da sociedade. Identificou que era hora de colocar as grandes massas como agente político e comandou a organização do setor de vanguarda do operariado, através do sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo, berço do sindicalismo combativo.

Viu mais longe: enxergou a necessidade de estimular a participação política dos deserdados, dos que não tinham vaga nos partidos para se candidatar e lançou-se na organização do Partido dos Trabalhadores. Estimulou ainda instrumentos como o orçamento participativo, formação de conselhos e outras formas de representação popular. Em pouco tempo, nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional começaram a aparecer trabalhadores rurais, operários, domésticas, semianalfabetos, negros, homossexuais e outros segmentos discriminados da sociedade.

O sindicalismo se fortaleceu. O PT conquistou o poder central. As coisas começaram a mudar. Em muitos casos para melhor. Em outros para pior. O chamado mensalão é apenas um produto de uma mudança de postura em relação ao status quo. O sindicalismo e o movimento estudantil perderam autonomia e passaram a representar corporações a cada dia mais interessadas em sua autopreservação e sem nenhum compromisso com as causas maiores da sociedade.

O movimento de professores, do funcionalismo, dos trabalhadores rurais e de diversos segmentos organizados descolaram-se da sociedade. Ao contrário, passaram a brigar contra ela exigindo cada vez mais recursos públicos em benefício próprio, e deixando de lado o sentimento de generosidade para com os setores excluídos.

Para deter um pouco essa pressão cada vez maior por nacos do dinheiro público editou-se a Lei de Responsabilidade Fiscal, uma cria do PSDB, mas que logo o PT e todos os democratas entenderam como instrumento correto para deter a completa sangria dos recursos públicos. Talvez esteja na hora de debatermos não o máximo que deve ser gasto com o funcionalismo, mas o mínimo que deve ser gasto dos recursos públicos com a sociedade através de políticas públicas.

De outro lado, os partidos políticos e suas lideranças, representando essa “nova organização” da sociedade, também aumentaram seu apetite pela autopreservação. A consequência foi o aumento das verbas parlamentares, do empreguismo, dos privilégios, das benesses. No Judiciário ocorreu o mesmo movimento.

Lideranças políticas e movimento social organizado se deram às mãos para comandar o orçamento público. A briga é para saber quais partidos e seus aliados comandam o botim. Dirigentes partidários, prefeitos, vereadores, deputados, senadores, governadores, secretários, ministros, o poder judiciário, o funcionalismo público e meia dúzia de empresários representam menos de 3% da população no Brasil, nos Estados e nos Municípios. No entanto, na maioria das vezes, abocanham mais de 90% dos recursos públicos.

Não sobra dinheiro pra melhorar a saúde, a educação, a infraestrutura das cidades. Uma verdadeira casta que se consolidou e sangra os recursos públicos. Com raras e honrosas exceções.

Quando a essa casta se agregam algumas categorias organizadas da sociedade o controle sobre o orçamento é quase total. Não sobra praticamente nada para a grande massa de excluídos. Daí o PT, em muitas cidades, já começar a ser enxergado como igual aos demais. Ter começado a perder sua natureza transformadora, por ter se rendido a essas corporações.

Como o governo federal tem mais recursos que os estaduais e municipais, existe no orçamento da União uma margem um pouco maior de manobra para conceder um pouco mais aos excluídos. Isso mantém a fleuma do PT.

Lula entendeu na década de 80 que a vez era do movimento social organizado. O PT “bombou”. De uns tempos para cá ele percebeu que é a vez dos excluídos. Consolidou o bolsa-família como política compensatória para os segmentos mais fragilizados e desorganizados da sociedade e empreendeu várias outras políticas para esses setores.

Ainda é pouco.

Na última quinta-feira participei do 14º. Encontro Nacional do Morhan – o movimento que combate o preconceito e luta em defesa dos hansenianos. Tive a honra de ser um dos 35 personagens homenageados pelo movimento.

Lula estava lá.

No seu discurso foi na ferida: “os empresários, os professores, o pessoal da cultura, os sindicatos, conseguem muito do que querem junto ao governo. E os excluídos? Tudo pra eles é difícil. Nós temos que inverter essa lógica e mostrar que pra eles tudo é possível”, falou.

Foi ovacionado.

Foi emocionante.

Enquanto boa parte da esquerda, inclusive a que se diz revolucionária, continua presa aos velhos clichês, continua aprisionada pelo corporativismo de boa parte dos líderes sindicais e da chamada sociedade civil organizada, Lula percebeu, ainda que intuitivamente, que o Estado precisa distribuir mais seus recursos para os deserdados.

(mais…)

março 6, 2013 at 12:55 pm 2 comentários

Você pode até não gostar, mas Chávez somos nós!

bandeira-chavez-povo

Imagem: Google

março 6, 2013 at 1:04 am Deixe um comentário

Violência na escola: professor é baleado no Centro de Ensino Supletivo do Estado do Pará.

paz

Mais uma vez o blogueiro quer externar o seu repúdio ao descaso com a segurança nas escolas das redes estaduais.

O professor Alexandre Samarone, que trabalha no CES, foi vitima de um assalto e baleado enquanto exercia as suas atividades profissionais.

O blogueiro há muito tempo vem denunciando o abandono de nossas escolas e cobrado do atual governo uma política pública séria que combata a violência nas escolas.

Aproveita a oportunidade para cobrar pela milésima vez o tal controle de acesso e as carteirinhas anunciadas no primeiro dia de gestão tucana na SEDUC.

Mas, nem isso foi feito.

Cadê o SINTEPP ? Por que está em silêncio diante de tamanha barbárie?

E o Jatene, o que dirá sobre a situação?

E a SEDUC, continuará inerte?

Nossa total solidariedade ao Professor Samarone. Que Deus o proteja e o reconduza ao nosso convívio magisterial.

Esses tiros acertaram em cheio o coração de nossa categoria!!!!

Imagem: Google

março 5, 2013 at 3:30 pm Deixe um comentário

Quase ninguém acredita na Globo

Tevelandia

Fonte: Conversa Afiada

março 5, 2013 at 10:51 am Deixe um comentário

Beto Faro, o balão de ensaio!

Perguntaram para o blogueiro no Facebook:

– Qual a repercussão nas redes sociais da pré-candidatura do Deputado Beto Faro ao governo do Estado?

0 blogueiro respondeu de forma lacônica e muito econômica:

– Zero. Ninguém levou a sério: “nem o Bordalo, o Milton Zimmer e até mesmo o Beto Faro.”

beto_faro

Imagem: Google

março 5, 2013 at 12:17 am 1 comentário

O Estatuto do Idoso, o chefe da Remosat e o meteoro que arrasou a torcida azulina

Diz o ditado popular que desgraça nunca vem sozinha. É verdade. Meu Leão perdeu. Caiu um meteoro azul e branco sobre o time azulino e para completar o Conjunto Satélite, onde moro, amanheceu sem água.

Tristes tempos. Como é duro ser apaixonado pelo Clube do Remo.

Então, fui a casa do Barba, o Chefe da toda poderosa Remosat. Fui lá pra entender as razões de nossa derrota.

Ele desconversou e enquanto tomava umas catuabas para esquecer se saiu com esta:

– O Mangueirão é o pior estádio de Futebol do Brasil, colocar isso no teu blogue. Lá fiquei das 14h às 16h pra entrar no estádio. E quando eu ia entrar chegaram os PMs e disseram que aquela fila não valia.

E continuou:

-O banheiro não presta e na torcida do Leão não tinha lugar pra sentar. Eu tive, na minha avançada idade, que assistir o jogo inteirinho em pé. Quando reclamei para um policial da situação e invoquei o Estatuto do Idoso ao meu favor ele sentenciou: vai tu e o teu estatuto pra PQP.

Pelo jeito, a polícia paraense não cultiva os bons hábitos da Milícia Londrina, que tem o estranho costume de andar desarmada.

Apesar de ser Leão, sei que o Barba não reclamaria de nada se aquele gol aos 40 minutos do segundo turno procedesse de uma cabeça divina vestida de azul marinho!!

Que segunda-feira braba: sem vitória ou água pra lavar a alma e o lanho!

E tem mais, o carrasco azulino é o Raul. Aquele garoto que mora na WE-8 do Conjunto Satélite,  meu vizinho, filho de uma Professora da Escola Elcione Barbalho e que hoje, pela manhã, foi visto enchendo um balde de água na cacimba!

meteoro-impacto-terra-g

Imagem: Google

março 4, 2013 at 1:16 pm 2 comentários

Governo Jatene, um governo muito família

O contribuinte é besta mesmo!

E besta também sou que não nomeei ninguém da minha família para o governo quando fui Secretário de Estado

Se tivesse nomeado o Firefox, meu cachorrinho, para chefe do canil da SEDUC seria natural, diante da sem-vergonhice que acontece agora no Estado do Pará.

E o Ministério Público precisa de uma consulta oftalmológica urgentemente!!

Veja o que foi publicado na Folha de São Paulo na edição de hoje:

familia

março 3, 2013 at 3:49 pm Deixe um comentário

Tempos interessantes

Tempos em que tudo que é novo envelhece rápido!!

 blogue

Imagem: Facebook

março 2, 2013 at 1:57 pm Deixe um comentário

Sobre BRT e manicômios

brt

Estou deveras preocupada com a atuação do PSDB principalmente em relação ao BRT.

Resido na Rodovia Augusto Montenegro e com o adiamento das obras prevejo o caos instalado no trânsito da Nova Belém.

Percebo as pessoas à beira de um ataque de nervos e o prognóstico de piora iminente.

Caro Zenaldo Coutinho,votei no Sr. para prefeito, mas se nenhuma providência for tomada para agilizar o BRT acredito ser necessário transformar o Bosque Rodrigues Alves num espaço de atendimento psiquiátrico para dar conta dos que forem surtando nesse ponto de gargalo do BRT.

Com todo respeito ao Dr Almir, que era contrário a manicômios.

Keyla Cardoso via Facebook

março 1, 2013 at 1:59 pm Deixe um comentário

O exemplo do Simão…

Apesar de termos médicos competentes no Pará, o governador Simão Jatene correu para São Paulo para fazer uma cirurgia que é rotina por aqui.

Belo exemplo Simão!

Se fosse o Lula os direitistas de plantão estariam berrando: Lula vai pra Santa Casa, vai…!!

E eu desejo as mordomias dele ao povo inteiro do Pará!!

saude

Jatene passa por cirurgia e desobstrui artéria do coração

Governador reagiu bem ao procedimento, passa bem e recebe alta no final de semana

Nesta quarta-feira (27), o governador do Pará, Simão Jatene, passou por um procedimento cirúrgico na capital paulista por recomendação do cardiologista Marcos Barros.

Jatene passou por um cateterismo após a equipe médica que o atendeu descobrir, durante a realização de um check-up, que ele estava com uma obstrução parcial de uma artéria do coração. Foi colocado um stent – prótese interna – procedimento que é menos agressivo do que uma cirurgia convencional.

O governador passa bem, está consciente e em um apartamento acompanhado por sua média, a cardiologista Heloísa Guimarães. Jatene deve receber alta durante o final de semana.

De praxe, todos os anos, o governador vai a São Paulo fazer check-up, que este ano, foi realizado na ontem (26). Na semana passada, Jatene apresentou alterações na pressão arterial, que inclusive, lhe impediu de participar do enterro do ex-governador Almir Gabriel, que faleceu na última terça-feira (19).”

Texto da Redação Portal ORM, com informações da Agência Pará e correção ortográfica do blogueiro.

Imagem: Google

fevereiro 28, 2013 at 10:49 am Deixe um comentário

Dica do dia:

Quando você tiver aborrecido com todo mundo e com o mundo inteiro faça o seguinte:

 “Dê banho em seu gatinho. Ele não gostará da ideia, mas a cena é de mandar o stress para ponte que caiu”.

banho-a-gatos

 Ah! Dizem que o gato é individualista e egocêntrico.

Não posso confirmar, mas sei que meu cachorrinho Firefox é de uma amizade inquestionável.

Talvez, isso explique porque gosto mais dos animais e menos dos “seres humanos”!!!!!

Imagem: Google

fevereiro 28, 2013 at 8:32 am Deixe um comentário

Ensino público paraense: Morte súbita?

Um fenômeno tem chamado a atenção de quem passa em frente às escolas públicas localizadas na área central de Belém.

Muitas instituições de ensino praticamente imploram a matrícula dos alunos, situação bastante diferente do que ocorria décadas atrás, quando os estudantes enfrentavam seleções ou filas enormes para conseguir uma vaga para estudar no centro da cidade”. Diário OnLine

O ensino paraense nivelou por baixo?

Sucessivas greves, negligência do governo com o ensino público?

 132442escola_pinto_marques_600x400

Imagem: Dol

fevereiro 27, 2013 at 1:54 am Deixe um comentário

Imagem do dia

13056698

Milhares de pessoas foram às ruas do centro de Montevidéu na noite desta segunda-feira para protestar contra uma decisão da Corte Suprema do Uruguai que revoltou grupos de direitos humanos.

Os juízes determinaram inconstitucional uma lei que definia crimes cometidos por militares durante a última ditadura (1973-1985) como imprescritíveis.

Imagem: Google

Milhares de pessoas foram às ruas do centro de Montevidéu na noite desta segunda-feira para protestar contra uma decisão da Corte Suprema do Uruguai que revoltou grupos de direitos humanos.

fevereiro 26, 2013 at 10:44 am Deixe um comentário

A eleição da AMAT e as traições …

crucificado

Na última sexta-feira em Marabá aconteceu a eleição da Associação dos Municípios do Araguaia Tocantins.

A toda poderosa AMAT Carajás reuni 38 municípios da região Sul e Sudeste do Pará e tem em sua principal bandeira a luta pela criação do Estado de Carajás.

De um lado o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), o candidato ungido pelo governador Simão Jatene;

Do outro João Salame, atual prefeito de Marabá, que embora não estivesse disponível para a disputa aceitou a árdua tarefa de enfrentar a máquina de Jatene com a promessa de apoio irrestrito de PT e PMDB;

As expectativas eram boas até as traições se confirmarem. Umas foram mais veladas outras escancaradas.

Sem pedir segredos e descaradamente o Prefeito Sidney Souza de Bom Jesus do Tocantins (PT) membro da tendência petista Unidade na Luta, da qual o blogueiro ainda acha que faz parte, chegou ao local da votação declarando:

Vou votar no Sancler atendendo pedido do meu Dep. Federal Miriquinho Batista (PT).”

O assunto logo se alastrou pelas redes sociais separatistas e estranhamente o federal petista silenciou, como de costume.

Pela pífia votação de Salame que obteve 11 votos, há forte indícios que outros prefeitos petistas também venderam Salame como Judas por menos de trinta moedas e o apunhalaram na cruz com o voto de traição.

O blogueiro já acostumado com as trapalhadas do seu partido não titubeou. Ligou o seu toca-fitas e escutou:

Se acaso me quiseres,

Sou dessas mulheres

Que só dizem “sim!”,

Por uma coisa à toa,

Uma noitada boa,

Um cinema, um botequim.

E, se tiveres renda

Aceito uma prenda,

Qualquer coisa assim,

Como uma pedra falsa,

Um sonho de valsa

Ou um corte de cetim.

E eu te farei as vontades.

Direi meias verdades

Sempre à meia luz.

E te farei, vaidoso, supor

Que és o maior e que me possuis.

Mas na manhã seguinte

Não conta até vinte:

Te afasta de mim,

Pois já não vales nada,

És página virada,

Descartada do meu folhetim.

Folhetim – Chico Buarque

Imagem: Google

fevereiro 25, 2013 at 12:31 am Deixe um comentário

O Pará que você não vê na imprensa livre paraense

images

Hoje o Pará dispõe de 15.665 leitos hospitalares, sendo 11.129 para atendimento do Sistema único de Saúde (SUS) e 4.436 não SUS. No que se refere aos leitos de UTI, número chega a 1.125 leitos, sendo 757 SUS e 368 não SUS. O Pará, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) deveria ter 22 mil leitos hospitalares, portando o déficit chega a casa dos sete mil leitos.”

 Fonte: SESPA

Imagem: Google

fevereiro 24, 2013 at 1:29 pm Deixe um comentário

Égua, Fidel a tua ditadura não é de nada…

democracia_capitalista

Imagem: Facebook

 

fevereiro 23, 2013 at 5:35 pm 1 comentário

Se há algum lugar em Cuba onde os direitos humanos são violados é Guantanamo!

Guantanamo

Leia o texto

Cabul – Os familiares dos prisioneiros da Al Qaeda, do Afeganistão, encarcerados na base ianque de Guantánamo, em Cuba, temem que eles sejam mantidos presos por tempo indeterminado ou julgados sem representação, num tribunal militar, ficando sujeitos à pena de morte.

A denúncia foi apresentada depois que a juíza Colleen Kollar-Kotelly decidiu que os cidadãos estrangeiros detidos em Guantánamo, não poderão ser julgados nos Estados Unidos. O Estado norte-americano se recusa a classificar os capturados no Afeganistão como prisioneiros de guerra, sob o argumento de que eles não pertencem a uma hierarquia militar reconhecida e que, por isso, não mereceriam os direitos de soldados capturados, ou vencidos em campo de batalha.

Para o advogado inglês Stephen Jakobi,, diretor da organização “Julgamentos Justos no Exterior” (Fair Trials Abroad), as famílias devem apelar da decisão na Suprema Corte americana. “Nós temos tentado, consistentemente, tirar estas pessoas do limbo legal e colocá-las em uma situação de julgamento razoavelmente justa”, afirmou ele. Até agora, nenhum dos 600 prisioneiros de Guantánamo foi acusado formalmente de ter cometido algum crime.

Para Jakobi, existe o risco real dos prisioneiros passarem o resto de suas vidas em Guantánamo sem serem julgados.

Campo de concentração nazista

Tal como um campo de concentração da Segunda Guerra mundial, a base ianque de Guantánamo serve de laboratório onde experiências abomináveis são feitas com os prisioneiros afegãos. As fotos do local, com os prisioneiros agachados, chocaram o mundo.

Eles estão sendo submetidos a uma “privação sensorial” por parte de seus algozes americanos; mantidos, por longos períodos, de joelhos, com os pés e mãos amarrados; com os olhos vendados; de luvas e com os ouvidos tapados; vestidos com um macacão sintético, totalmente inapropriado para um clima tropical como o de Cuba, pois acumula um calor intenso. Ou seja, os prisioneiros são torturados, brutalmente, através do isolamento total dos seus sentidos. Algo que faria inveja ao mais aplicado carrasco nazista.

 […]

Fonte: Nova Democracia

Imagem: Google

fevereiro 23, 2013 at 5:09 pm 1 comentário

A hora e a vez do Michelângelo

O blogueiro recebeu é publica o texto de Waldir Lisboa sobre a polêmica obra “A cadeira do Reitor”.

Ressalva que sua crônica (que também pode ser considerada arte) não tratou dos aspectos filosóficos e estéticos da obra e que tem concordância plena com a leitura feita por nosso Michelângelo.

No meu texto quis tratar do problema da cadeira do secretário na SEDUC, que pelo jeito ninguém quer sentar.

Leia o texto:

Uma breve crítica a “Cadeira Reitoral”

Por Waldir Lisboa – Artista Multimídia

Atrever-se a criticar uma obra de arte, é no mínimo uma façanha. Ainda mais quando se trata da arte contemporânea e não tão somente por ser contemporânea, mas pelo discurso estético em que o artista apropria-se de elementos conceituais.

O conceito por si só já é um discurso.

Neste caso, tomaremos como caminho de leitura e entendimento da obra observada, tudo aquilo que nos parece ser um mero cliché mas vai além da mera observação desinformada.

Muita das vezes tomamos como base de prazer, somente o que é confortável e não obstante o que é provocação e nos qualifica a superficialidade.

Discussões filosóficas a parte…

O dito é: “ninguém desconfia do óbvio” e ainda mais quando é o poder que está em foco.

É verdade também que o papel da arte não é e nem deve ser o maneirismo ou seja qual bálsamo para aliviar vícios ou qualquer outra dor.

No meu entendimento da obra, é que o trono nas alturas e numa base precária, nos incomoda por de mais.

O poder além de ser efêmero, instável, é mera vaidade cega do espírito humano.

 cadeira_reitoral

Foto: arquivo pessoal

fevereiro 22, 2013 at 1:34 pm 1 comentário

A pergunta que não quer calar:

Se o magistério é sacerdócio por que o Papa é rico, alguns pastores milionários e o Professor(a) é fudido? 

professor

fevereiro 22, 2013 at 1:13 pm Deixe um comentário

Alex Fiúza de Mello e a oitava maravilha do mundo

O blogueiro passeava pelo campus da Universidade Federal do Pará. Ele via com os olhos que deus lhe deu, o quanto aquela universidade melhorou nos últimos 10 anos, coincidentemente, o tempo que seu partido governa o país.

Aproveitou e foi até o prédio da reitoria elogiar o trabalho do magnifífico reitor e amigo Prof. Carlos Maneschy, uma liderança que ainda vai surpreender muito na política estadual.

Após a aprazível conversa no belo gabinete reitoral, o blogueiro passou pela orla e sentiu aquele peculiar odor de “marijuana vegana”. Caramba, se não fosse aquele cheiro insuportável até que dava uma liga.

Seguiu rumo ao campus profissional. Quando ja se dirigia ao terceiro portão, viu um monumento em frente ao prédio do conceituado NAEA, o Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da UFPA, deu meia volta e viu aquela verdadeira “obra de arte”: uma cadeira pendurada em dezenas de tijolos.

Égua, pensou com seus botões:

– Que porra é essa?

E perguntou a um Prof. Doutor que saia daquele nucleo:

– Professor, qual o significado desse monumento?

E ele respondeu:

– Olha amigo, desde que o ex-reitor, Prof. Alex Fiúza de Mello inaugurou, em 2009, com toda pompa, esse negócio aí (que aliás custou uma fortuna), os mais conceituados cérebros desta instituição não conseguem entender o significado desse monstrengo.

E prosseguiu:

– Já teve até pesquisador que pirou tentando explicar a jeringonça. Um outro até inscreveu no CNPQ um projeto de pesquisa pra estudar a “obra de arte”. Mas nada foi conclusivo!

O blogueiro pensou com o retrovisor do carro:

– Vou falar pro Maneschy derrubar essa coisa antes que o Super Secretário de Promoção Social dos tucanos, Alex Fiúza, resolva marcar sua passagem pela SEDUC edificando outra cadeira similar no prédio onde funciona a Secretaria de Educação.

Fazer a obra será barbada. Difícil mesmo é encontrar alguém pra sentar nela, após o meteoro tucano que caiu e destruiu a SEDUC

Veja a oitava maravilha do mundo:

cadeira_reitoral

Imagem: Arquivo pessoal

fevereiro 21, 2013 at 1:53 am 2 comentários

Fidel, manda a “polícia secreta” cubana me prender e torturar também

quero_ser_torturdo_em_cuba

Quero ser torturado em Cuba igualzinho a Globeira Yoani

Porra Fidel, vou virar dissidente também.

Mudo a linha do meu blogue e começo a falar mal de ti.

Descolo uns prêmios de uma imprensa pra lá de amiga e passo a comer nos melhores restaurantes da Ilha.

Mas, vou continuar dizendo no blogue que vivo privações e que meu filho Yuri não tem o que comer.

Direi também que não gosto que meu filho estude em uma escola em que a sala de aula tem uma foto do revolucionário Cuevara.

Quero mesmo é que ele estude nas destruídas e decadentes escolas do Simão.

Apesar de me considerar um homem feio, logo, logo virarei “muso” da Rede Globo e dos demais reacionários brasileiros.

O PSDB vai me chamar ao Senado e me proclamar um arauto da liberdade, mas permanecerá calado em relação a perseguição do Lúcio Flávio Pinto pelo ORM paraense.

Descolo umas entrevista na Band News, uma falas com perguntas acertadas na Folha de São Paulo e apesar da minha avançada idade o Arnaldo Jabor vai me chamar de moço defensor da liberdade.

Afinal, nem Alter do Chão, o nosso paraíso, se assemelha as lindas praias de tuas cadeias, onde tomarei banho de sol.

Ah! Nada de Caipirinha, eu gosto mesmo é  de Cuba Livre.

Raul, quero ser torturado em tuas “fedorentas” cadeias igualzinho a globeira Yaoni na foto acima!

Foto: Facebook

fevereiro 20, 2013 at 4:09 pm 2 comentários

O mandonismo, coronelismo, clientelismo e o Pai Curupira do Sat

painho[1]

O blogueiro estava conectado no Facebook quando um carro com três estudiosos e dedicados pretendentes a sete vagas de um conceituado curso de Ciências Políticas parou em frente de sua residência.

Um deles se dirigiu de forma polida ao blogueiro:

– Bom dia professor, precisamos urgentemente de sua ajuda.

 Eu respondi:

 – Do que se trata?

 Ele respondeu:

 -O senhor sabe onde é o terreiro do Pai Curupira. É que já estamos exaustos de estudar e precisamos saber qual dos textos indicados na bibliografia não cairá de forma alguma na prova do mestrado?

 Respondi:

 – Sei. Vou conduzí-los ao terreiro do macumbeiro mais famoso do Sat.

 Chegando no terreiro, o Pai Curupira os recebeu com as pompas de sempre, ao som do Sino da Igrejinha e das tradicionais danças e rituais que animam aquele templo sagrado.

 Ele disse:

 – Posso ajuda?

 Um apreensivo candidato foi direto ao assunto:

 – Pai Curupira qual o texto que não tem nenhuma possibilidade de cair na prova de seleção do mestrado.

Curupira não titubeou:

 – O texto Mandonismo, Coronelismo e Clientelismo de José Murilo de Carvalho.

Os sorridentes candidatos pagaram o serviço e saíram felizes da vida já dando como certa a aprovação e combinando onde seria a farra para comemorar o ingresso no mestrado mais disputado do Estado do Pará.

Uma semana depois o blogueiro recebeu a visita de uns desanimados candidatos. Eles vieram se queixar que as tais previsões saíram pela culatra e a questão que eles deveriam dissertar era justamente sobre José Murilo de Carvalho. Queriam porque queriam que o bruxo do Sat devolvesse a grana. Pediam que o blogueiro dissesse onde poderiam encontrar o Pai Curupira que há muito tempo não comparecia ao terreiro.

O blogueiro setenciou:

 – A última vez que eu vi o Curupira ele estava no “Pau do Urubu”, o Bar do Parque do Sat, dançando, bebendo e fumando charutos cubanos, às custas de três patetas metidos a cientistas políticos que achavam que poderiam trapacear espiritualmente na prova!!

 Enquanto os três ex-estudantes do mestrado saiam de casa estonteados, o Pai Curupira andava pelo Sat enganando incautos e vivendo da patronagem que nem foi o assunto da prova!!

Imagem: Google

fevereiro 20, 2013 at 1:42 am Deixe um comentário

Santa Yoani

 yoani-sanchez-dinheiro

Por Leandro Fortes, extraído da Carta Capital:

Primeiro de tudo: foi um erro dos manifestantes baianos impedir a exibição do documentário, ou seja lá o que for aquilo, do tal cineasta de Jequié, Dado Galvão, em Feira de Santana. Não que eu ache que dessa película poderia vir alguma coisa que preste, mas porque praticar sua arte – seja genial, banal ou medíocre – é um direito inalienável de qualquer cidadão brasileiro.

Ao impedir o documentário, os manifestantes estão ajudando a consolidar a tese adotada pela mídia de que os que são contra a blogueira Yoani Sánchez são, apenas, a favor da ditadura cubana. Fortalece, pois, esse reducionismo barato ao qual a direita latinoamericana sempre lança mão para discutir as circunstâncias de Cuba.

Minha crítica aos manifestantes, contudo, se encerra por aqui.

De minha parte, acho ótimo que tenha gente disposta a se manifestar contra Yoani Sánchez, uma oportunista que transformou dissidência em marketing pessoal. Não vi ainda nenhuma matéria que informe ao distinto público quem está pagando a turnê de Yoani por 12 (!) países – passagens aéreas, hospedagens, traslados, alimentação, lazer, banda larga e direito a dois acompanhantes, o marido e o filho.

Nem a Folha de S.Paulo, que até em batizado de boneca do PT pergunta quem pagou o vestido da Barbie, parece interessada nesse assunto. E eu desconfio por quê.

Yoani Sánchez é a mais nova porta-bandeira da liberdade de expressão em nome das grandes corporações de mídia e do capital rentista internacional. É a direita com cara de santa, candidata a mártir da intolerância dos defensores da cruel ditadura cubana, a pobre coitada que tentou, vejam vocês, 20 vezes sair de Cuba para ganhar o mundo, mas só agora, que a lei de migração foi reformada na ilha, pode viver esse sonho dourado. Mas continuo intrigado. Quem está pagando?

A mídia brasileira, horrorizada com as manifestações antidemocráticas em Pernambuco e na Bahia, não gosta de lembrar que a atormentada blogueira morou na Suíça, apesar de ter tentado sair de Cuba vinte vezes, nos últimos cinco anos. Vinte vezes!

Façamos as contas: Yoani pediu para sair de Cuba, portanto, quatro vezes por ano, de 2006 para cá. Uma vez a cada três meses. Mas, antes, conseguiu ir MORAR na Suíça. Essa ditadura cubana é muito louca mesmo.

Mas, por que então a blogueira dissidente e perseguida abandonou a civilizada terra dos chocolates finos e paisagens lúdicas de vaquinhas malhadas pastando em colinas verdejantes? Fácil: nos Alpes suíços, Yoani Sánchez poderia blogar a vontade, denunciar a polícia secreta dos Castros e contar ao mundo como é difícil comprar papel higiênico de qualidade em Havana – mas de nada serviria a seus financiadores na mídia, seja a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), que lhe paga uma mesada, ou o Instituto Millenium, no Brasil, que a tem como “especialista”.

Então, é preciso fazer Yoani Sánchez andar pelo mundo. Fazê-la a frágil peregrina da liberdade de expressão, curiosamente, financiada pelos oligopólios de mídia que representam, sobretudo na América Latina, a interdição das opiniões, quando não a manipulação grosseira, antidemocrática e criminosa da atividade jornalística, em todos os aspectos.

É preciso vendê-la como produto “pró-Cuba”, nem de direita, nem de esquerda – aliás, velha lenga-lenga mais que manjada de direitistas envergonhados. Pena Yoani ter se atrasado nessa missa: Gilberto Kassab, com o PSD, e Marina Silva, com a Rede (Globo?), já se apropriaram, por aqui, dessa fantasia não-tem-direita-nem-esquerda-depois-da-queda-do-muro-de-Berlim.

No mais, se a antenada blogueira cubana tivesse ao menos feito um Google antes de embarcar para o Brasil, iria descobrir:

1) Dado Galvão, apesar de “colunista convidado” do Instituto Millenium, não é ninguém. Ela deveria ter colado em Arnaldo Jabor;

2) Eduardo Suplicy é a Yoani do PT;

3) Em Pernambuco não tem só frevo;

4) E na Bahia não tem só axé.

Imagem: Google

fevereiro 19, 2013 at 1:32 pm Deixe um comentário

A hora e a vez do PPS: para Waldir Cardoso a saúde tucana é um retrocesso!!

 1) Acabou com as eleições diretas pra diretor de Escola (voltaram as indicações políticas);

2) A política de Assistência Estudantil (mesmo admitindo suas limitações) foi extinta. Os alunos ainda usam uniformes distribuídos em 2009 e 2010 pelo governo Ana Júlia Carepa;

3) O sinal do Navegapará nos laboratório de Informática foi absurdamente reduzido de 10Mb para 1Mb;

4) Extinguiu, em manobra sórdida, o Abono FUNDEB e incorporou ao salário-base pra poder atingir o piso salarial nacional dos professores;

5) Acabou com o projeto Escola de Portas Abertas;

6) Este foi o pior ano dos últimos tempos em termos de lançamento de notas e entrega dos resultados na rede estadual de ensino, foi uma esculhambação total, o sistema está sucateado…

Poderia listar dezenas de outros exemplos, mas penso que esses já bastam pra ilustrar a situação. O que me inspirou a escrever isto foi a leitura do interessante post no blog do Waldir Araujo Cardoso, onde no texto aparece a palavra “retrocesso” também na área da saúde do governo tucano.

Nada como um dia atrás do outro!

Leiam:

Agenda mínima da saúde no Pará

Por Waldir Cardoso, militante do Partido Popular Socialista – PPS

Em 2011, o governador Simão Jatene editou e lançou na chamada “Agenda Mínima” denominada na capa do documento “Pacto pelo Pará”. Iniciativa extremamente positiva e corajosa que ele já havia implementado no seu primeiro governo. Trata-se de publicizar no início do governo quais as iniciativas e obras que o gestor eleito considera o  mínimo a fazer durante seu mandato. Para além das promessas de campanha o governador apresenta à sociedade e assume o compromisso de realizar.

À cidadania cabe a tarefa de acompanhar e cobrar estes compromissos assumidos. Neste sentido vou publicar quais as obras prioritárias, na área da saúde, que o Governo Jatene assumiu no referido documento e os respectivos valores a serem empregados, considerando que só restam dois anos de mandato.

PACTO PELO PARÁ

AGENDA MÍNIMA

SAÚDE

2011 – 2014

1) Construção de dois hospitais regionais (R$ 120.000.000,00)

2) Implantação de 10 UPAs nas mais diversas regiões (R$ 30.000.000,00)

3) Reestruturação e requalificação de 20 hospitais municipais (R$ 90.000.000,00)

4) Implantação de 3 novos Centros Especiais para Dependentes Químicos (R$ 15.000.000,00)

5) Conclusão e equipamentos para o novo Hospital da Santa Casa (R$ 100.000.000,00)

6) Conclusão e equipamento do Hospital Oncológico (R$ 50.000.000,00)

7) Implantação do Centro de Hemodiálise (R$ 10.000.000,00)

8) Interiorização do Hemopa ( R$ 12.000.000,00)

9) Ampliação e novos equipamentos para o Hospital Ofir Loyola (R$ 40.000.000,00)

10) Reforma, equipamentos e adequação do Hospital Abelardo Santos (R$ 20.000.000,00)

Total  a ser investido: R$ 487.000.000,00

O documento diz que o governo vai “investir pesado na saúde”. O valor representa pouco mais de 10% dos R$ 4.550.000.000,00 que o governo pretende investir em todas as áreas na gestão. Mais que isso, o que me chamou atenção foi o investimento zero em apoio às ações de atenção primária. Reconheço que o governo estadual tem como responsabilidade prioritária a atenção de média e, particularmente, a alta complexidade. Mas nada destinar de recursos em apoio aos municípios para que estes invistam em ações de atenção primária não me parece razoável. Denota que o governo vai “investir pesado” apenas para tratar doenças.

Isto é um claro retrocesso em relação ao governo anterior capitaneado pela ex-governadora Ana Julia Carepa, do PT. Sensível ao apelos da sociedade civil organizada, a governadora instituiu um apoio financeiro mensal aos municípios – fundo a fundo – para ações de atenção primária mediante o atingimento de metas definidas de forma pactuada. É o que nós chamávamos de “pabinho”. Corruptela do PAB – Piso da Atenção Básica – repassado pelo governo federal aos municípios. O governo Jatene suspendeu o repasse do pabinho sem maiores explicações perdendo a oportunidade de discutir e induzir ações de atenção primária.

A quantas anda a implementação da agenda mínima da saúde? É o que este post pretende provocar. Vamos buscar a resposta juntos! Olhando de fora me parece que o Centro de Hemodiálise, funcionando na rua dos Mundurucus, foi a única das 10 iniciativas que já foi concluída. E as outras?

saude

P.S  A apresentação do post é do professor Edson junior.

fevereiro 18, 2013 at 3:22 pm 1 comentário

Posts antigos


agosto 2020
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Meu twitter

Os textos mais lidos

Contador do Diário

  • 315.552